quarta-feira, 1 de março de 2017

ACARINHAR


http://www.acarinhar.org.cv

Missão deste projecto é:
Promover a melhoria da qualidade de vida das crianças e jovens com Paralisia Cerebral e suas famílias, em prol de um desenvolvimento integral e harmonioso.
A sua Visão é:
Sensibilizar, prevenir e apoiar, de forma a prestar um serviço eficaz e eficiente, no sentido de garantir os direitos de igualdade e oportunidade às crianças e jovens com Paralisia Cerebral. 

A equipa da Take C'Air ajuda enviando donativos para estas crianças e jovens e para as suas famílias. Nos últimos 5 meses por exemplo enviamos mais de 30 pacotes para a ACARINHAR. Trabalhamos com este projecto desde Maio de 2012 e contamos com a ajuda dos tripulantes da TAP que nos ajudam a fazer chegar os donativos, a todos eles o nosso profundo agradecimento por nos ajudarem diariamente a ajudar!!!

Para entrega de donativos para este e para os outros projectos apoiados pela Take C'Air Crew Volunteers deixe ao nosso cuidado na Av. Almirante Gago Coutinho nº90 (SNPVAC) ou se tiver acesso ao Reduto TAP (funcionários) pode fazer a entrega dos donativos no Mock Up no Edf.28, em alternativa podem fazer a entrega na  ESTÍMULO (ONGD) Largo da Lagoa, 14 B em Linda-a-Velha. Obrigada!

#praia #CaboVerde #crianças #donativos #ParalisiaCerebral #Acarinhar #voluntarioscomcarga #tripulantesvoluntários #takecair #crewvolunteers


quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Era tripulante, passava a vida a voar...

Tem cabelos ruivos, apertados no cimo da cabeça. Olhos grandes, rasgados e curiosos, de tom azul. Usa um vestido às listas vermelhas e beges. Foi durante muito tempo a boneca favorita da Joana. A única que tinha um nome: Sofia. O pai tinha-lha trazido de uma das suas viagens à Alemanha. Outros tantos brinquedos seguiram-se – era tripulante, passava a vida a voar –, mas Sofia era especial. 
Um dia, o pai disse à Joana e aos seus primos algo que iria mudar a vida daquela boneca. Explicou-lhes que havia muitos meninos, em Portugal e no resto do mundo, que não tinham com que brincar. E que eles deviam ajudá-los doando os brinquedos que já não queriam.
Com uma lágrima a verter dos olhos, Joana agarra na pequena Sofia e entrega-a ao pai. Ele faz o que já tinha feito com tantos outros brinquedos, roupas e até com os produtos de higiene (sabonetes, champôs) que trazia dos hotéis onde ficava a dormir. 
Sem saber o que estava a acontecer, Sofia vai parar ao Sindicato do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), onde está um dos pontos de recolha de donativos da Take C’Air, uma plataforma de voluntariado que nasceu graças à iniciativa de pessoas ligadas à aviação. Ali fica, vários dias, sem perceber como a Joana tinha tido coragem de a abandonar assim, estando ela ainda tão bem conservada. Pensava que era a sua melhor amiga...
Os sacos e caixotes amontoam-se, de vez em quando vai uma senhora fardada buscar, mas Sofia vai ficando para trás. Até que, um dia, chega a sua vez. Quando dá conta, está numa garagem em Linda-a-Velha. 
Umas mãos agarram-na no fundo do saco e colocam-na numa estante. Confusa e aterrorizada, olha à volta, tentando perceber onde está e o que tencionam fazer com ela. A vista é privilegiada. Caixotes e sacos por todo o lado, a serem remexidos por várias pessoas, numa azáfama total. De onde em onde, há etiquetas a dizer “Take C’Air” e papéis a assinalar “Luanda”, “Praia” ou “Maputo”. Calças, blusas, casacos e meias vão saltando das caixas. Uma das pessoas está sentada no chão a emparelhar sapatos, enquanto outra remexe os sacos cheios de livros e brinquedos. Sofia ouve-os a falar, mas não entende nada. “Onde coloco as coisas para os sem-abrigo?”. “É ali!”. “Onde estão as etiquetas para a Praia?”. “Acolá!”, "Achas que isto dá para a Dress?".
De repente, volta a sentir medo, é agarrada. Vai parar dentro de um saco de plástico, juntamente com umas calças, umas havaianas e um livro de colorir. É colocado um papel a dizer o destino, mas Sofia não consegue ver qual é. 
Quando dá conta, está novamente na bagageira de um carro, e tem ao lado vários sacos iguais ao seu, cheios de roupa, brinquedos e sapatos. “É o fim”, pensa, lágrimas a escorrerem-lhe pelo rosto, antecipando um qualquer caixote de lixo industrial como destino. Mal ela sabe que a aventura ainda nem começou.
Quando a mala do carro é aberta, dias depois, Sofia vê uma mulher fardada. Acabou de chegar ao Terminal de Tripulações do Aeroporto de Lisboa. O saco onde está é passado no raio-X e, de seguida, colocado numa prateleira onde se acumulam mais sacos. Dias a fio, Sofia vê pessoas fardadas a entrar e a sair do terminal, a passar o controlo de segurança e a seguir para os aviões. Pensa que vai ficar ali para sempre. Volta e meia, alguém agarra um saco, mete-o dentro de uma mala grande preta e sai também. Mas ninguém parece reparar na boneca ruiva, de sardas e olhos verdes. Até que, um dia, um rapaz agarra nela e nos seus companheiros, e mete-os na mala.

Passam-se várias horas. Sofia continua prisioneira, abafada dentro da bagagem. Consegue ouvir o som dos trolleys a abrir e a fechar, o tlim das campainhas, as conversas sobre aviação. E o discurso a anunciar a chegada a São Tomé e Príncipe. De repente, tudo cessa. 















Texto by Rita Faria




quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Projecto "Troque os seus trocos por sorrisos"

É com enorme prazer que informamos que a campanha da Take C'Air de recolha de donativos para a Operação Nariz Vermelho, a bordo dos voos de Longo Curso da TAP PORTUGAL, está a ser um verdadeiro sucesso!
Entre 15 de Setembro e 20 de Dezembro foram recolhidos aproximadamente 6.000€. Este valor será convertido em cerca de 1 200 visitas dos Doutores Palhaços a crianças hospitalizadas em Portugal.

        "Troque os seus trocos por sorrisos"

Esta é uma iniciativa da TAKE C’AIR Crew Volunteers com o apoio da TAP PORTUGAL, CateringPor e Lojas Francas de Portugal.

Poderão esclarecer qualquer dúvida através do email takecair@gmail.com

http://takecair.blogspot.com/2016/09/iniciativa-take-cair-numa-parceria-com.html
http://www.lfp.pt
https://www.cateringpor.pt
http://www.tapportugal.com/Info/pt/home

#takecair #crewvolunteers #voluntariado #donativos #tapportugal #solidariedade #crianças #troqueosseustrocosporsorrisos #onv #operacaonarizvermelho #visitashospitalaresProjecto


https://animoto.com/play/o8mQEU6niSBPEbk8IlgXOw

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Projecto apoiado pela Take C'Air Crew Volunteers



Obra da Caridade da Criança Santa isabel(OCSI)

Dirigida pela Irmã Domingas, a grande mentora deste projecto ao qual a Take C'Air Crew Volunteers se associou, para ajudar as mais de 80 crianças que habitam as instalações e as centenas que usufruem diariamente desta obra maravilhosa da qual já beneficiaram mais de 14.000 crianças em Angola desde 2002.


Esta Obra concentra os seus esforços na melhoria da qualidade de vida de crianças órfãs e abandonadas, jovens carentes e idosos, proporcionando-lhes educação básica e qualificação profissional para permitir a sua reintegração na sociedade angolana.

O que precisamos para ajudar este projecto são: cordas de violino, lençóis individuais, roupa de verão de rapaz e rapariga dos 2 aos 20 anos (magros) e 1 ano para rapaz, roupa interior de menina, marcadores permanentes para roupa, turcos (toalhas), talheres, sabonetes e pasta de dentes, pensos higiénicos, fraldas, livros de leitura infantil e para adolescentes. 

Esses donativos podem ser entregues no SNPVAC, Av. Almirante Gago Coutinho 90 em Lisboa, ou no Mock Up (para quem trabalhar na TAP). Podem ainda ajudar estas crianças através de transferencia directa no site do projecto ou ainda directamente na própria instituição.






http://www.ocsiangola.org

"Obra de Caridade da Criança Santa Isabel (OCSI) tem como interesse principal ajudar crianças pobres na comunidade. Alcança esse objetivo de várias maneiras, focando na educação de famílias de baixo rendimento, órfãos e crianças em situação de risco dentro das vastas comunidades de Cazenga e Viana, que são subúrbios de Luanda.
As principais atividades da OCSI são:
  • Apoiar os órfãos que moram na intituição assim como os que estão alojados nas casas de famílias adotivas.
  • Operar uma rede de escolas comunitárias para as crianças que são demasiado pobres ou desfavorecidas para irem para as escolas públicas. Aproximadamente 4.500 pessoas são educadas através deste programa (crianças durante o dia e os adultos à noite).
  • Operar uma escola na Estalagem Mercado para crianças de rua, trabalhadores do mercado e mendigos.
  • Cuidar de crianças durante o dia e prover comida e educação para essas crianças enquanto suas mães trabalham.
  • Operar um projeto de micro-crédito para mulheres que não têm apoio das suas famílias porque foram abandonadas ou ficaram viúvas.
O programa de reintegração da OCSI tem estado em efeito nos últimos cinco anos, beneficiando 25 comunidades na província de Luanda. A continuação do programa pretende oferecer as mesmas oportunidades para 10 comunidades adicionais, mais especificamente, este program terá como objetivo ajudar jovens que são forçadas a vender nos mercados locais para ajudar no sustento de suas respectivas famílias.
Esse programa irá fornecer a essas meninas educação primária equivalente ao ensino estadual, enquanto também ajuda os alunos e suas famílias a adquirirem a documentação necessária para facilitar sua integração nas escolas públicas (ou seja, certidão de nascimento, carteira de identidade, cartão de inscrição da criança).
Nós não podemos fazer isso sozinhos! Pedimos que nos ajude a realizar nosso sonho de criar um futuro melhor para as crianças angolanas. Fazer uma criança feliz é construir uma nova Angola!
Visita da Take C'Air

sobre a irmã domingas

Irmã Domingas nasceu em uma família católica na província rural de Kuanza Norte, em Angola na África Ocidental. Aos 6 anos de idade, devido a uma condição com a sua perna, ela mudou-se para Luanda para viver com sua tia. Foi nessa época que ela decidiu que o trabalho da sua vida era ajudar crianças, pois foram as crianças que a defenderam dos abusos de sua tia. Ela estudou em Luanda até à 4 ª série, e em seguida voltou para a sua terra natal onde encontrou a irmã Fernanda Reis e começou sua jornada para se tornar uma missionária. Ela e a irmã Reis disseminaram uma mensagem de esperança durante este tempo tumultuado na história de Angola que veio logo após sua recente independência.
Em 14 de setembro de 1981, ela entrou na Congregação das Irmãs Dominicanas de Santa Catarina de Sena , em Luanda, baseada na Igreja do Carmo, para iniciar o processo formal de se tornar uma missionária. Ela estudou até 1986 quando então recebeu sua primeira missão na comunidade de Ndlantando na Paróquia de São João Batista. Irmã Domingas trabalhou nesta comunidade por 3 anos e, em seguida, ficou muito doente e portanto foi enviada pela igreja para Portugal para se tratar. Foi durante a sua estadia em Portugal que a sua visão para a educação e estrutura de suas escolas futuras nasceu. Ela observou meninos e meninas, ricos e pobres, estudando juntos e prometeu trazer este conceito para Angola.
Quando ela retornou para Angola, era novamente um período entre guerras , e mais uma vez ela espalhou uma mensagem de esperança e renovação. Ela estabeleceu programas de alfabetização e começou a ganhar confiança em suas habilidades e qualidades inatas. Entretanto a segunda guerra começou em 15 de outubro de 1992 e o projeto foi interrompido. Durante os próximos dois anos, ela permaneceu na região ajudando os necessitados, mas acabou caindo em uma depressão grave e teve que retornar a Luanda para tratamento. Na capital, ela encontrou muitas pessoas deslocadas e começou a ajudá-los a criar acampamentos e abrigos. Ela estava determinada a alfabetizar as crianças e portanto pediu à congregação para construirem uma escola para as crianças. A empresa Sonagol concedeu lhe o financiamento necessário e em seguida construiu a Escola da Paz com 22 salas de aula, campos de jogos, uma igreja, um posto médico e uma casa para os missionários que trabalhavam lá. As associações ficaram tão impressionadas com seu trabalho que logo depois ela recebeu outro financiamento para a expansão da escola. Foi esse dinheiro que plantou a semente para o seu maior projeto até o momento.
Escolinha da Paz, ajudada pela Take C'Air Crew Volunteers desde 2011
http://escolinhadapazluanda.blogspot.pt
Em 23 de agosto de 2002, ela finalmente conseguir estabelecer legalmente a organização Obra de Caridade da Criança Santa Isabel (OCSI).
Nesse ponto, já haviam 15 crianças abandonadas vivendo na casa da sua mãe. A Irmã Domingas recebeu fundos adicionais de várias fontes e com um orçamento inicial de $ 70.000 USD ela começou o seu trabalho mais importante. Ela imediatamente começou a construir o orfanato Casa da Criança para cuidar dessas crianças. O nome Isabel foi escolhido porque Santa Isabel, de acordo com a Bíblia, era uma mulher que teve um filho com uma idade avançada. A mãe da irmã Domingas, também chamada Isabel, recebeu nove crianças para cuidar também com uma idade muito avançada. Até hoje, Isabel ainda é um componente chave para o equilíbrio emocional das crianças na Casa das Crianças.
Ela recebeu apoio dos missionários salesianos de Dom Bosco que a ajudaram imensamente . Mais tarde, ela contactou seus amigos para virem nos fins de semana ajudar a treinar os jovens. Ela ganhou credibilidade assim que as pessoas começaram a espalhar notícias sobre o seu trabalho. Com o tempo ela estava a trabalhar em 25 bairros. Mais tarde, ela construiu quatro escolas. As 15 crianças do orfanato cresceram gradualmente para 50 e o número continua aumentando. Ela também começou a oferecer programas para crianças locais para virem para o orfanato durante o dia ter aulas e receber alimentação e cuidados em vez de ficarem brincando na rua. Programas adicionais foram criados para continuar a cuidar e educar as crianças e famílias locais.
Desde então, a OCSI foi capaz de ajudar mais de 10.000 crianças na Casa da Criança, alfabetizou mais de 14.000 crianças através da distribuição de bolsas de estudo, e ajudou a construir seis escolas. Irmã Domingas tem sido uma força fundamental na sua comunidade e nos esforços de reconstrução de uma nova Angola, mas enquanto existirem crianças a precisarem de cuidados, ela acredita que seu trabalho ainda não está completo." http://www.ocsiangola.org/portuguese/sobre-nos/

domingo, 9 de outubro de 2016

Campanha solidária para a Madeira com o apoio da Take C'Air Crew Volunteers



No verão de 2016 o SNPVAC, Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, criou com a assistente de bordo Rita Trigo uma campanha de ajuda aos afectados pelos incêndios na ilha da Madeira apoiada pela Take C'Air.

Quase 10 000 kg de donativos seguiram para a ilha da Madeira em Agosto de 2016!!!
Uma adesão fantástica dos Tripulantes de Cabine e de particulares.
Um trabalho fantástico da colega Rita Trigo e do nosso Sindicato (SNPVAC) com a colaboração de todos.
Muito obrigada ao Eng. Fernando Pinto por nos ter dado espaço de carga nos voos para a Madeira.
Obrigada à Nestlé pela doação que fez de ração para os patudos!

Obrigada aos Bombeiros de S. Pedro de Sintra que tanto ajudaram.

Obrigada a todos os que ajudaram com donativos para ajudar a Cruz Vermelha na Ilha da Madeira a ajudar as populações afectadas pelos incêndios.
Obrigada aos elementos da direção do SNPVAC, em especial à Luciana pelo trabalho fantástico e por todas as diligências para conseguir enviar esta ajuda, obrigada ao Nuno e à restante equipa do Sindicato.
Obrigada à DPC, nomeadamente ao Helder Santos, à Carga da TAP, ao Cab Samuel Gouveia por toda a ajuda para que fosse possível esta acção.
Muito obrigada às colegas que ajudaram na recolha e empacotamento de donativos e a todos os não tripulantes que tanto ajudaram também.
Obrigada à equipa da Take C'Air Crew Volunteers, nomeadamente ao Luis Filipe, à Joana Sara e à Diana Carvalho pela ajuda e disponibilidade para mais esta acção.

Obrigada por ajudarem a ajudar!!!
Pat


Nos bastidores

Encaixotar e ensacar é connosco. Os dias de triagem começam com pilhas de donativos que parecem intermináveis e terminam com caixotes e sacos espalhados por todo o lado. Aqui ficam algumas fotos do nosso trabalho nos bastidores.



Dia de triagem na garagem da Pat (a responsável da Take C'Air)




Entrega de donativos ao projecto Dress for Success



Entrega de donativos na C.A.S.A. (Centro de Apoio aos Sem-Abrigo)
http://casa-apoioaosemabrigo.org

Ocorreu um erro neste dispositivo